Início » Dúvidas » Capitalismo – O que é, História, Características e Principais autores

Capitalismo – O que é, História, Características e Principais autores

Um dos sistemas econômicos mais antigos que existem é o Capitalismo. E mesmo datando do século XII ainda é o modelo mais utilizado em todo o mundo.

Mas afinal de contas, o que é o Capitalismo? Porque suas características e seu modelo tem sido tão debatidos nos últimos anos em tantos países?

Bom, vamos tentar responder essas e outras questões no decorrer desse texto, boa leitura!

O que é o Capitalismo

O modelo capitalista acredita na acumulação de bens e dinheiro (chamados capital) ilimitados e no direito fundamental à propriedade privada. Segundo as crenças capitalistas, isso só é possível através da divisão de classes que ocorre entre a chamada burguesia  e o proletário. 

Burguesia: Proprietários dos meios de produção.

Proletário: Trabalhadores que trocam sua força produtiva por salários.

A divisão de classes é, sem dúvidas, o ponto mais polêmico do capitalismo porque é uma das chaves causadoras das desigualdades sociais pelo mundo. Isso acontece porque raramente a remuneração do proletariado é compatível com as riquezas geradas à burguesia. Em muitos casos, o salário recebido não é o suficiente para suprir nem mesmo todas as necessidades básicas dos trabalhadores.

Explicando melhor: o proletário muitas vezes depende do salário que recebe para ter acesso à moradia, saúde e educação. E levando em conta que o objetivo do capitalismo é a geração de lucros ao proprietário dos meios de produção, pela lógica, uma mão de obra barata gera mais lucro.

O capitalismo é um sistema considerado econômico, porém quando analisado mais profundamente fica claro que vai além dos lucros. O modelo atinge as áreas sociais, culturais, políticas entre outras e é responsável por uma infinidade de questionamentos e estudos.

Conceito de capitalismo

Origem e História do Capitalismo

Como dito anteriormente, esse é um sistema econômico muito antigo tendo sua origem entre os séculos XIII e XV. A introdução desse modelo veio quando pequenas cidades comerciais começaram a surgir em meio ao Feudalismo, desafiando esse sistema considerado insuficiente para suprir as necessidades comerciais da época.

Com o passar do tempo os comerciantes, foram ganhando gosto pela geração do próprio capital e as cidades comerciais, chamadas burgos, cresceram e se expandiram por toda a Europa. Os mesmos comerciantes deram origem a classe social “burguesa” e aos poucos o sistema Feudal foi dando lugar ao chamado Capitalismo Comercial que visava o lucro e enriquecimento através do comércio. Essa foi apenas a primeira das três fases históricas desse sistema que são:

1ª Fase – Capitalismo Comercial

capitalismo comercial

Vigorou entre os séculos XV e XVIII e passou a ver as trocas comerciais entre população e nações como a maior fonte de riquezas de um país. Nesse período acreditava-se que o poder de uma nação vinha da acumulação de bens e riquezas. Essas riquezas costumavam ser conseguidas através da conquista de novas colônias que eram exploradas e tinham, principalmente, seus metais preciosos exportados para as nações colonizadoras. Essa ação era chamada de “metalismo”, ou seja, o máximo de acúmulo de metais preciosos. 

Além desse, outros pontos que marcaram a fase comercial do capitalismo foram:

  • Exportações e vendas em maior número do que importações e compras.
  • Surgimento do dinheiro para trocas comerciais
  • Busca por matérias-primas baratas
  • Produção de manufatura. 

2ª Fase – Capitalismo Industrial

Entrou em prática no século XVIII junto com a Revolução Industrial. Foi nessa fase que a Burguesia ascendeu ao máximo poder afinal as produções agora eram mais numerosas e feitas de forma quase instantânea se comparados ao modelo artesanal com que as mercadorias eram produzidas antes. A riqueza e o lucro eram gerados pelo sistema de produção fabril.

A necessidade por matéria-prima crescia, assim como a necessidade por mão de obra. Ao mesmo tempo, as cidades eram expandidas e o homem do campo era obrigado a largar a enxada para trabalhar na manufatura e conseguir seu sustento e o da família. Surgia assim a classe operária responsável por gerar os bens que eram exportados e vendidos. Esse período foi marcado pelo crescimento do número de miseráveis em todo o mundo, pelos modos de trabalho abusivos e pela remuneração irrisória com que a classe burguesa pagava seus trabalhadores.

3ª Fase – Capitalismo Financeiro

A terceira fase entrou em vigor no início do século XX quando os bancos começaram a investir seus capitais nas indústrias. Dessa forma, as empresas começaram a vender suas ações como mercadoria, dessa forma, quanto mais lucravam com suas produções, mais valiosas essas “parcelas” ficavam.

Foi aí que o capital industrial deu lugar ao capital financeiro e as especulações pelas valorizações financeiras de corporações entrou em vigor. 

Essa é a fase que vivemos até hoje onde as maiores indústrias são as que mais produzem e, correlatamente, são as com maior valor no mercado financeiro. Para isso elas dependem diretamente do proletário que quanto mais produz, mais riquezas gera para a empresa.

Principais Características do Capitalismo

Agora que já entendemos um pouco da história do modelo capitalista, vamos a um resumo de suas principais características:

  • Economia de Mercado: Pouca ou nenhuma intervenção do estado nos trâmites de mercado.
  • Lucro: principal objetivo do sistema capitalista.
  • Propriedade privada: consiste na propriedade do indivíduo que é utilizada como meio para gerar riquezas ao mesmo. 
  • Divisão de Classes: Para que as riquezas sejam geradas a classe burguesa que é detentora dos insumos precisa da mão de obra do proletário.

Principais Autores do Sistema Capitalista

Para fundamentar as práticas capitalistas são utilizados autores que ajudam a caracterizá-loe e defini-lo. A teoria capitalista é fundamentada principalmente por:

Max Weber

Indicação de obra: A ética protestante e o “espírito” do Capitalismo.

Adam Smith

Indicação de obra: A riqueza das nações

Joseph Schumpeter

Indicação de obra: Teoria do desenvolvimento econômico

Karl Marx

Indicação de obra: O Capital

John Maynard Keynes

Indicação de obra: A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. 

Países Capitalistas

Hoje a maior parte dos países do mundo segue o modelo capitalista, alguns de forma mais rigorosa outros mais brandas. Os de modelo mais brando tendem a aplicar mais políticas públicas focadas em diminuir a desigualdade social causada pelo modelo capitalista. 

A seguir apresentamos uma lista com exemplos de países que seguem o modelo capitalista:

  • Alemanha;
  • Brasil;
  • Canadá;
  • Estados Unidos;
  • França;
  • Itália;
  • Japão;
  • Reino Unido;
  • Rússia.

Conseguiu entender melhor como funciona o sistema capitalista? Qualquer dúvida, deixe um comentário!

Estado Laico – O que é e qual as suas características

Comente