Início » Partidos Políticos » PTC (Partido Trabalhista Cristão) – História, Ideologia e Lista de candidatos

PTC (Partido Trabalhista Cristão) – História, Ideologia e Lista de candidatos

O PTC – Partido Trabalhista Cristão tem o número eleitoral 36. Foi criado em 22 de Fevereiro de 1990 após a redemocratização do Brasil.

No entanto, foi em 1985 que Daniel Tourinho fundou o PJ (Partido da Juventude) com a vontade de ter um partido alicerçado pela fé em Deus. No começo de 1989, o partido ganhou outro nome, sendo chamado de PRN (Partido da Reconstrução Nacional), onde elegerem o primeiro Presidente da República, Fernando Collor de Mello.

Confira os demais detalhes sobre a história, ideologia e candidatos do PTC!

História do PTC

O PTC é um partido relativamente novo, sua história começou depois do regime militar, mas logo ficou conhecido porque em um comício pelas Diretas Já em Maceió no ano de 1987 , Brizola apresentou o fundador do partido ( Daniel Tourinho)  a Fernando Collor de Melo.

Meses depois, Fernando Collor implantou o PJ no estado do Alagoas, desse modo, foi possível que o partido se registrasse na Justiça Eleitoral.

Em 1988 Fernando Collor resolve concorrer a Presidente da República pelo jovem partido juntamente com Itamar Franco que na época era Senador de Minas Gerais.

Foi no final de 1988 que  o primo de Fernando Collor, Marcos Coimbra proprietário do Instituto VOX convenceu o fundador do PJ, Daniel Tourinho a trocar o nome do partido para PRN (Partido da Reconstrução Nacional), pois ele acreditava que seria importante para dar mais ênfase na campanha de Collor.

Foi o que realmente aconteceu, pois o PRN conseguiu a maioria dos votos para Presidente da República e Fernando Collor foi eleito em 1989.

Depois disso, o PRN continuou levando muitos candidatos, entretanto, com os escândalos do Impeachment a legenda do partido teve muitos efeitos negativos.

No ano 2000, houve mudanças na sigla e à partir daí, o PRN passou a se chamar PTC (Partido Trabalhista Cristão).

Qual é a ideologia do PTC?

O PTC levanta a bandeira em defesa dos direitos dos trabalhadores. O objetivo desde sua fundação foi atuar em prol do povo através de alicerces com a fé em Deus, algo muito parecido com o que é pregado pelo também cristão PSC.

Além disso, defende a democracia brasileira.

O partido também tem grande atuação no campo econômico, o PTC é a favor da economia de mercado, livre comércio e do estado mínimo.

No campo político, a sua defesa vai em prol do estado laico e a também, as liberdades individuais de acordo com o seu estatuto.

Em suma, o PTC defende o liberalismo, pelo motivo de apoiar o que Leonel Brizola sempre pregava, ele é considerado “Trabalhista”.

Se observar bem, o PTC é um partido de centro, entretanto, por ter pessoas que defendem o humanismo cristão e no campo econômico serem liberais, ele é posicionado mais adequadamente como centro direita.

Candidatos do PTC

Desde o começo da sua história política, o PTC e outras siglas que  partido teve sempre tiveram em sua legenda candidatos que conseguiram angariar bastante votos, entre eles:

  • 1990 – Hélio Costa ( Governo de Minas), José Carlos Marinez ( Governo do Paraná), João Castelo ( Maranhão), Rena Calheiros ( Alagoas).
  • 2002 – O PTC lançou Ciro Moura ( prefeitura de São Paulo), Anthony Garotinho ( Governador RJ).
  • 2006 – Clodovil ( Deputado de São Paulo) que ficou entre os 3 mais votados;
  • 2008 – Lança o Ciro Moura para prefeitura de São Paulo, mas não se elegeu;
  • 2010-  Apóia candidatura de Celso Russomanno;
  • 2012 –  O PTC apresenta 19 prefeitos eleitos em todo o País;
  • 2018 – O partido apoiou o senador do Paraná Álvaro Dias  para Presidência da República. Conseguiu eleger 2 deputados federais , 12 deputados estaduais, entretanto, perdeu os parlamentares, pois não conseguiu alcançar 1,5% na cláusula de desempenho.

Rafaela Trevisan Cortes
Rafaela Trevisan Cortes, jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Comente