Início » Partidos Políticos » PCO (Partido da Causa Operaria): História, Ideologia e Lista de candidatos

PCO (Partido da Causa Operaria): História, Ideologia e Lista de candidatos

O Partido da Causa Operária é um partido brasileiro de extrema-esquerda. Seus membros defendem uma revolução no Brasil que tire o poder dos grandes proprietários e das classes burguesas e o coloque na mão das camadas mais baixas.

O partido tem origem no surgimento da Causa Operária, uma organização com ideais especialmente trotskistas. Desde o seu surgimento, o partido faz oposição aos governos de frente burguesa, inclusive ao PT, partido em que a Causa Operária participou por vários anos, mas que, por conta de atritos ideológicos, desligou-se e começou a opor-se criticamente.

Surgimento da causa operária

Surgimento da causa operária

O partido tem origem na Causa Operária (CO), uma organização de esquerda fundada em 1979 com ideais trotskistas e marxistas. A organização, por sua vez, surgiu por meio de uma reunião de ex-integrantes da Organização Socialista Internacionalista, em 1978.

Filiação ao partido dos trabalhadores

Em 1980, a Causa Operária filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), compondo a parte mais radical dele, visando a criação de um partido realmente comprometido com as causas operárias.

A organização também participou ativamente na consolidação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) entre 1983 e 1985, em São Bernardo do Campo, São Paulo, durante o Primeiro Congresso Nacional da Classe Trabalhadora (CONCLAT), e nas “Diretas Já!”, em 1984.

Atrito com o PT

A Causa Operária, entretanto, logo começou a ter atritos com a diretoria do PT, especialmente pela acusação por parte dos militantes de um suposto envolvimento entre o Partido dos Trabalhadores e uma classe burguesa.

Nas eleições de 1990, o atrito entre o PT e a CO se agravou com a expulsão de alguns membros, inclusive de Rui Costa Pimenta, importante membro da Causa Operária (que viria a concorrer às eleições de 2002, 2006, 2010 e 2014 pelo futuro PCO). Nesse mesmo ano, a escolha de um governador pela CO, em nível estadual, resultou na interferência por parte do PT em nível federal, anulando a decisão, ainda que ela fosse fruto de uma maioria.

A partir de 1991, a onda de expulsões de membros do PT filiados à Causa Operária continuou. Em 1994, essa ala do PT chegou a apoiar da candidatura de Luís Inácio Lula da Silva, mas de maneira crítica, denunciando a suposta traição à classe operária e pedindo o afastamento da classe burguesa infiltrada no partido.

A partir daí, a Causa Operária passou a trabalhar na construção de seu próprio partido, crentes de que o PT havia falhado enquanto um partido que privilegiasse a Classe Operária.

Surgimento do Partido da Causa Operária (PCO)

Surge, então, em 7 de dezembro de 1995, o Partido da Causa Operária (PCO), tendo o seu registro em 30 de setembro de 1997.

O PCO, desde então, lança sistematicamente candidatos em todas as esferas. O partido fez parte da oposição aos governos de Fernando Collor e Fernando Henrique Cardoso. Além disso, manteve-se crítico ao modo de operar do PT, criticando especialmente as políticas do governo Lula que, segundo o partido, privilegiavam os interesses dos exploradores, capitalistas, banqueiros, empreiteiros, ou seja, da classe burguesa, reforçando o abandono das classes operárias por conta do partida.

O PCO lançou candidatos à presidência em:

  • 2002: Rui Costa Pimenta – 38.619 votos;
  • 2006: Rui Costa Pimenta (candidatura indeferida);
  • 2010: Rui Costa Pimenta – 12.206 votos;
  • 2014: Rui Costa Pimenta – 12.324 votos.

Em 2018, o partido inicialmente apoiou, informalmente, a candidatura de Luís Inácio Lula da Silva, não lançando o próprio candidato.

Ideologia do PCO

Algumas das palavras chaves do Partido da Causa Operária são: Comunismo, trotskismo e socialismo.

O partido, obviamente, combate assiduamente o capitalismo, acusando-o de causar a destruição da pequena propriedade, impedindo o trabalhador de deter os meios de produção, uma vez que estes são monopolizados pelos grandes proprietários.

Ele também acusa que o inegável desenvolvimento da tecnologia e das forças produtivas beneficiam apenas os capitalistas e grandes proprietários, uma vez que causam o sofrimento da classe operária e das classes mais baixas.

O Partido da Causa Operária, portanto, defende a transformação da propriedade privada capitalista em propriedade social, visando a produção para a sociedade e pela sociedade. Apenas dessa maneira aqueles oriundos das classes mais baixas, como os próprios operários, conseguiriam ter conforto e a sociedade poderia prosperar de maneira harmoniosa.

Essa revolução, segundo o partido, só poderia acontecer por meio da classe operária, uma vez que as demais classes estão enraizadas na base do atual sistema, situando-se, portanto, no terreno da propriedade privada dos meios de produção.

Os operários, entretanto, não lutariam sozinhos: eles teriam como aliados as classes médias não capitalistas e os camponeses.

Dados atuais do PCO

  • Fundação: 07 de dezembro de 1995 (registro em 30 de setembro de 1997);
  • Espectro político: Extrema-esquerda;
  • Ideologia: Comunismo, Trotskismo, Socialismo;
  • Presidente: Rui Costa Pimenta;
  • Membros: 3.688 filiados;
  • Cores: Amarelo e Vermelho;
  • Número eleitoral: 29.

Comente